segunda-feira, 16 de julho de 2012

Relato Auto-Biográfico de um Príncipe:

Eu dei minha vida. Entreguei a dádiva divina sem pestanejar, sem duvidar. Não tive meias palavras ou o que pensar. Fui assim, logo de cara, ofertando minha vida toda. Embora nem tão longa ou vivida, mas experimentada. E com ela foram-se meus sonhos e minhas vontades mais íntimas e questionáveis.

Sem me importar ou refletir. Sem ao menos pedir. Apenas fiz assim. Entreguei a vida, como símbolo de algo maior. Uma coisa imensurável, inenarrável. Como se fosse bobagem. Entreguei alma e coração, e todos que por eles já passaram. Porque quando doei minha vida, juntos se foram todos aqueles que nela acolhi. E até alguns que reneguei. E daí em diante, a responsabilidade foi outra.


Sou um amador clichê. Poeta falcatrua que não bebe. Só me embriago de arrependimentos. Ébrio de mentiras. Sou um poeta ao meio. Ao inverso. Sem sexo como refúgio. Apenas mais um mergulho inconsequente. Fugaz. Uma dose dupla de orgulho e uma injeção de martini e auto-estima.

E mesmo assim dei toda a vida que assisti. Que contracenei. Que em períodos evasivos foram atuados e banhados de moralismo.


Entreguei minha vida e com ela cada pedaço dessa onomatopeia em versos. Um luto áurico. Inexplicável. Insensível. De paixão mórbida e duvidosa... Só sei que nasci com algo morto em mim.

E toda essa trajetória circular e dependente de uma força centrípeta (como explica a física), nem foi tão interessante. Nem provei de tudo ou de todos. Não fiz nada memorável. Ergui críticas intelectualmente escapistas e escolhi caminhos errados. Me atei num futuro que nunca chegou e deixei o passado desfalecer. Despetalar. Mas ainda assim minha vida foi concedida. Reclusão consensual. Eis um minuto de pausa...


A chuva lá fora já castiga os sonâmbulos noites a dentro. E que noites! Vidas e mais vidas que se vivem em horas. Em minúcias. O escuro acolhe os temores - E os céus.
As luzes se intimidam. Incomodam. Prato cheio pras canções.
E como um leopardo faminto, à espreita, o mundo todo te observa. Até te engolir.

E não resta nada. Porque o castigo que eu oferto a mim soa suficiente. As fomes são saciadas e as sedes extintas.

A vida vai acabando, ao ser entregue, junto com o poema que abandonou as rimas.
E como eles, no final, o príncipe morre.

15 comentários:

  1. Adorei o texto!
    Bem legal!

    Obrigada pela visita
    Seguindo.

    Beijos,
    Mundorosaachock.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Seguindo de volta. E retribuindo a visita.
    Beijos ;*
    http://mulheresjuntas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nossa, Que legal esse post !
    Li tudinho muito bom viu ? Gostei por demais
    teu blog é show parabéns ;
    tudo de bom e obrigada pela visita, já estou seguindo aqui beijos "-

    www.interligada-i.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Que perfeito esse texto e triste também né?
    Por que o príncipe tem que morrer no final? Pra fugir do monótono? IOEUWOIUEOIWE. Parabéns pelo blog...
    http://www.elainezanol.com/

    ResponderExcluir
  5. Muito bom o texto ! flor obrigada pelo carinho la no meu blog, ja estou seguindo aqui . http://confissoesdeumablogueira.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, vim agradecer a vicita no blog e muito obrigada por seguir. Estou seguindo de volta ok! :)

    Adorei o texto!

    Beijos

    http://perfumedemoca.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. olá, amei seu blog, vc escreve muito bem principe, seguindo seu blog, segue de volta?
    bjus
    sa
    lamourmonage.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Oi! Valeu pela visitinha!!! Sou sua mais nova seguidora aqui! Beijos

    www.marcelacarraro.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. oi lullis,
    curti o seu texto! você tem talento com as palavras!! =)

    beijos
    http://www.facebook.com/fabifalando
    http://fabifalando.wordpress.com

    ResponderExcluir
  10. Gostei do texto :) Beijos
    http://trendtotal.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Que lindo texto.
    Da uma passadinha la no Menina de mustache, ta de layout novo, aproveita para dar sua opinião!!!
    Um beijo!!!
    www.meninademustache.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Gostei do texto!
    Melancólico, solitário e realista!
    Muito bom!

    Ja estou te seguindo, viu baby?
    Beijos
    http://muitasfeminices.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. parou de postar anja ?
    xoxo :*
    http://mini-fofoquinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Oi adorei o blog :)
    Tenho um blog que aborda temas como moda e beleza entre outros.
    PARTICIPE do sorteio de uma linda bolsa Stella Mccartney "inspired".

    http://alinefashionmoda.blogspot.de/

    Bjokas :)

    ResponderExcluir
  15. Obrigada! Seja bem vindo! Estou seguindo também!

    É... Quando o assunto é cosmético a mulherada fica louca! huahuahua! E geralmente se contentar com pouca coisa é complicado (Eu sei bem disso! rs).

    Interessante o texto. Mas não sei se posso entender assim do jeito que você quer passar. Me parece ser algo em torno do obsessivo, só que isso é apenas o meu olhar!

    Boa segunda pra você!

    Beijo! ^^

    ResponderExcluir

Leia com atenção.
Não esquecendo que tudo é desenvolvido como poesia livre, seja uma crítica ou um ponto de vista.
Ninguém é obrigado a concordar, mas respeitar e ser sincero ajuda ^^