segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Eu sou... Clive B. Capítulo Sexto: Eu Encanto, Seduzo e Estrago Tudo

Sentia-me agora como um rato que passara sua vida entre os esgotos, achando que fazia grande coisa, e de repente encontra uma casa aconchegante e sutilmente se convida pra entrar e ficar. Ainda que camuflado, agindo sob as penumbras. Mas um novo lar é um novo mundo a ser descoberto. Mesmo que sob circunstâncias questionáveis, agora eu era o rato, que não queria mansões ou palcos com holofotes. Tava em busca de uma cabana bem vagabunda. Um quiosque. Um sobrado. Queria só ir entrando, me avizinhando, sem ser notado. Queria ser o rato durante o dia, e à noite o artista.



Foi nessa andança então que a conheci. O vento fazia meu cabelo cobrir os olhos (engraçado como sempre venta pro lado oposto ao do meu cabelo). Eu mal tinha engolido toda aquela fase que se sucedera (acho que nunca engolirei), e já tinha parado num boteco pra ver se a tequila me ajudava a degustá-la. Em vão.


Escorei-me na fronte de uma ponte, não das mais novas ou das mais belas. Não era como um outono de filme hollywoodiano. Mas pontes servem para interligar dois lados de quaisquer coisas. E eu me encontrava bem no meio.Tinha um lago escuro que parecia morto. Estacionado abaixo dela. Eu tentava me reconhecer pelo reflexo.



E lá estava ela. Parecia entender meu olhar, quando os dois colidiram, e quando me abraçava, tocava-me de verdade, como nunca antes sentira. Não tinha dó. Era a bonança que eu precisava pra iluminar toda essa tempestade que eu sou.

Ele deu-me um novo lar e mostrou-me cores e sabores inéditos. Acrescentou aromas únicos aos próximos dias. Algo nas minhas palavras tortas o surpreendia. E quando ele sorria algo em mim doía. Deus, como eu queria aquela dor sempre...



Era a oportunidade que eu precisava (embora não merecesse). Diferente das outras vezes, não queria estragar tudo. Às vezes até sentia algo real. Algo vivo. Mesmo sóbrio, distinto, limpo. Ela me fazia dormir, e acordar com vontade de vê-la. Se eu fosse um dançarino, sapatearia por ela, e ressoaria canções para aquecê-la. Agora, quando fechava os olhos, aquele turbilhão de vozes que me recepcionara na cama, após os acontecidos, havia adormecido.


Mas naquele dia, eu havia reencontrado as armas do passado. E ao chegar em casa e ver-me encolhido ao lado da cama, como ladrão que tenta esconder o furto, ele perdeu o eixo. Achou absurdo, incompreensível. Diferente do que vocês julgarão, eu não atento contra a vida. Acho que eu desafio algo maior. Algo que ainda busco. Algo além desses dias programados. Mas eu era barco sem rota mesmo. Toda a embarcação de raiva, frustração, indiferença e medo que eu carregava era como um trem desgovernado. Cada batida era um novo teste. "Sadomasoquista?", questionaram certa vez. Mas sexo e dor são só um vestígio da vida (ou do fim de semana).


Ao vê-lo entrar no quarto, a lâmina escorreu entre os meus dedos e caiu, ecoando uma catedral de culpa por todo lado. Desviei o olhar. Ele ajoelhou-se e tentou extrair dos meus olhos bronzeados alguma resposta. Acho que o seu castelo desmoronou neste momento. Beijou-me. Tentou abraçar, como um baú que guarda todo o passado numa ilha. Algumas lágrimas petrificaram, mas outras deixei brotar. Não queria ser tão cruel. Tão mal agradecido. Mas um rato é só um rato. Espreitando. Noite e dia. Em mansões e em bueiros. E eu... Vocês sabem, sou só o que o medo impede que sejamos. Sou Clive B.


Ela sussurrou "Eu te amo".
Eu disse "Obrigado".
Ele disse "Por que você faz isso?"
E eu disse "Talvez porque eu seja um suicida bem educado".

32 comentários:

  1. Profundo, confuso, intenso! Existe medo no texto, mas também existe sentimento, porém o medo é maior.
    Obs: Acho que o final tem um (ele) no local que é (ela).
    Uma boa noite =)
    Beijocas

    Patty
    www.eitotestando.com

    ResponderExcluir
  2. Uaw, que maremoto '-' Esse foi pra lascar ein?!
    dá pra se identificar com tantos traços de personalidade e linhas de pensamento...

    E pelo que percebi tu se refere ao outro personagem como ele/ela. Pra nos confundir né? só pode... haha

    Parabéns

    ResponderExcluir
  3. Ratos gostam de se espreitar, não chamar atenção. Buscam aparecer somente na penumbra, escuridão é algo que eles realmente preferem. Portanto, sou uma rata.
    Mas ainda prefiro ficar no mesmo canto, no mesmo lar. Comodismo, talvez. Mas a ideia de um novo lar não me enche tanto assim os olhos.

    E essa troca de ele/ela é realmente confusa.
    Beijos, Gi.

    ResponderExcluir
  4. Clive você é um rato muito figura viu ...amei este seu texto cara ...as vezes não encontramos o sentido que o artista quer passar e você como é muito inteligente ...para que possamos as vezes encontrar ...temos que nos esforçar temos que caminhar com você nas sua palavras ...mas é muitooooo legal ... porque serpre nos terá junto viu gostei do suicida educado...kkk foi perfeito um grande e afetuoso abraço do amigo Pedro Pugliese

    ResponderExcluir
  5. Adorei sua maneira de escrever e o blog também. Um abraço!

    ResponderExcluir
  6. Luís. Um conto de pontes e muros. Pontes são de afinidades. E muros são de prudência, talvez. Muito obrigada pela visita. Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Olá parabéns gostei muito do seu blog..
    Segue meu blog pra eu poder seguir o teu..forte abraço e fique com Deus..
    http://sodeboainformativo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Luís, sua narrativa me entreteve a atenção até a ultima linha. Muito interessante. Parabens!

    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Nossa, que texto bom! Você escreve muito bem, menino! Estou a te seguir...

    ...e obrigada pelas visitas e pelos elogios, ADOREI!

    Beijos.

    ResponderExcluir
  10. Eu já tinha vindo aqui outras vezes, mas saía silenciosa. Preciso vir mais, ler mais, porque pelo que percebi, são capítulos, ne´?

    O que li, gostei demais. Você é bom nessa coisa de entreter os olhares e pensamentos da gente.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  11. Muitos se veem como ratos como você escreveu no texto, mas temos que pensar que não somos ratos para viver como eles,nos esgotos escondidos,com medo dos outros, a vida é bela é linda, existe muita coisas lindas aqui,Luís bom texto é pra gente ler e refletir, Luís lá no blog tem post novo se você quiser dá uma passadinha lá é só clicar no link abaixo, te desejo uma linda quarta feira, fique com Deus beijos.
    http://www.lucimarestreladamanha.blogspot.com.br/2012/11/criancas-consumistas.html

    ResponderExcluir
  12. A forma como escreves e de facto maravilhosa consegues captar a minha atençao do principio ao fim ,gostei muito um abraço

    ResponderExcluir
  13. Gostei dos posts divididos em capítulos!
    Criativo!

    ResponderExcluir
  14. Hoje estou aqui para te desejar um final de semana maravilhoso.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
  15. Olá Luís,

    Boa tarde! Estou aqui para pedir seu apoio.
    25 de novembro. Poucos têm conhecimento da importância dessa data.
    Por favor, tire cinco minutos apenas e abrace essa causa! Visite meu espaço e deixe sua solidariedade.
    Por uma vida sem violência! Temos nossas palavras, vamos usá-las juntos!

    http://camillacris.blogspot.com.br/2012/11/a-mulher-que-colecionava-naos.html

    Obrigada!
    Camila Gomes

    ResponderExcluir
  16. Adorei teu texto!
    Até ri quando li:
    "Eu Encanto, Seduzo e Estrago Tudo"...
    Só para tu saber...adoro ratos.
    Eles se adaptam a qualquer circunstância,não importando se em mansões ou em favelas.
    Adoro pontes também,agora muito mais,depois que li o que escrevestes...és fenomenal!
    Não sei por que...mas desta vez saio daqui te gostando mais.
    Beijão...meu ratinho!

    ResponderExcluir
  17. Ola Luis,
    Gostei muito do seu texto.
    Mas estou pegando meio que no meio talvez.
    Voltarei com mais frequência.
    Beijos
    ps; já estou seguindo

    ResponderExcluir
  18. Texto muito bem escrito! Pra muita reflexão!.... Aguardo tua visita e comentário também! Um início de semana de paz e alegria!
    Que o amor renovador e a Paz de Jesus Cristo habitem nossos corações sempre! Abraço carinhoso!
    Elaine Averbuch Neves
    http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Não tem como matar o que somos, e nem sempre somos o que de fato gostaríamos de ser. Somos realidade contraditória em ebolição;Duma vida que cultuamos, disforme a contra gosto.
    Seus textos sempre muito criativos, retrata brilhantemente esta ambivalência da alma humana.
    Ansiando por retorno, deixo abraços e felicitaçoes do.:-BYJOTAN.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. _Ela sussurrou "Eu te amo".
      Eu disse "Obrigado".
      Ele disse "Por que você faz isso?"
      E eu disse "Talvez porque eu seja um suicida bem educado"
      Adorei, um mimo, gosto muito do seu texto, é leve e instigante, provoca ao leitor(a), estimula nossa criatividade, arrume seu cabelo para o outro lado quem sb assim o vento não o perturbe, o tio Castanha gosta de andar por aqui, pra vc um fraterno abraço...

      Excluir
  20. Olá Luís, gosto do nome porque é também o nome do meu filho, eu sou uma pessoa de poucas promessas, porque eu acho que promessa é para ser cumprida e quando não se cumpre nem va-le a pena prometer. Mas também sou boa pagadoura jamais deixarei de visitar alguém que me visite, então aqui estou e sou também muito sincera, o seu blogue não faz o meu genero? Mas nunca será por isso que deixarei de cá vir e deixar o meu comentário, acho o Luís uma pessoa com uma grande imaginação e como muito jovem, tem uma visão mais virada talvez para o futuro com uma grande pitada teatral. Como o meu querido vê eu sou mais lite e talvez daí eu não me entender bem com o tipo da sua escrita, mas como já disse lá atrás nunca será por nada disso que eu deixarei de ser sempre sua amiga. E voltar sempre aqui, acredite que um dia eu possa aqui encontrar algo com que me possa identificar, vou segui-lo sempre e serei sempre amiga, e só espero que não fique magoado comigo, pois uma vez que eu disse que sou sincera e não fingida, e os comentários são sempre comentários quer sejam construtivos ou negativos, pois eu penso que o meu não é um nem outro. É só um desabafo com um pouco de verdade, gostei de o conhecer e cada amigo que aqui entra no meu cantinho é sempre uma estrelinha que brilha no céu.
    PS: olhe amigo eu tenho outro se clicar na flor cor-de-rosa que está do lado direito que é uma camélia e diz as flores do meu jardim também é meu, tenha um feliz e santo dia com beijinhos de luz e muita paz e susseço na sua vida.

    ResponderExcluir
  21. Oi meu querido voltei para lhe dizer que fiz erro ao dizer que era as flores do meu jardim mas este foi onde você comentou então o outro é o lamentos de alma desculpa beijinho.

    ResponderExcluir
  22. “Ser o rato durante o dia , e à noite o artista” .

    - Quantos somos ?

    O que diz a nossa própria sombra e consciência quando olhamos para ELAS ?
    O que diz o nosso próprio reflexo quando olhamos para ELE ?

    Porque o “eu” parece ser composto por alguns “eus” – aquele que acusa e o outro que absolve , o que nos envolve , o que nos repele ...enfim , dualidades , às vezes tenho a sensação de que elas não misturam-se , feito água e óleo , mas acontece que quando junto estas duas substâncias em um mesmo copo e depois mexo ou agito bem , vejo por pouco tempo que existe uma penetração , talvez a palavra seja invasão , feito anjo e demônio , deixa a calma , paz , porém também traz a ira .

    Depois de uma grande confusão , procuro um lugar tranquilo , percebo o casamento das paisagens com o ambiente , tudo esta perfeito , me sinto outro ser , até que a tempestade se forma , o céu escurece , fica a mistura do que foi e do que vem , tudo muda , é assim !

    Gostei Clive ...

    Um suicida educado com ele mesmo ou com quantos eus ? mas seria isto educação ou apenas uma maneira de atuar a morte de forma lenta e disfarçada , quase que explodindo , rasgando o peito ? Nestes momentos como descobrir a sua própria identidade se ela for formada por muitas ?

    ResponderExcluir
  23. CONVITE: Rádio Internacional Jesus é o Caminho

    Visite nossa rádio acessando: http://radioiijc.com/

    Fico muito grato, se quiser adicioná-lo no seu blog, fique a vontade. Está autorizado.

    Abraços e fica com DEUS.

    ResponderExcluir
  24. Olá!
    Luis/Clive
    ...já temos gravada em nossa memória. de que o lado escuro de nossa personalidade não deve ser aceito. E tentamos de todas as maneiras cancelar sua existência inevitável em nossa personalidade. Dos pares de opostos que habitam em nos - eu e ele, divino e diabólico, santo e profano,suicida e educado... - tentamos fingir que só o que é bom existe...
    Obrigado!
    Ótima quarta feira
    Abraços

    ResponderExcluir
  25. Olá, Luís! Desculpa a demora em vir retribuir a visita. Tenho lido, mesmo em silêncio, pelo Google reader, suas postagens.

    Sua maneira de escrever difere do que costumeiramente leio. Sua escrita, mesmo que suave, é profunda.

    Gosto de ler e absorver o que você tenta expressar naquilo que está a escrever.

    Beijos!

    Iza

    ResponderExcluir
  26. Você tem facilidade em fazer uma narrativa. Todos somos duais, mas precisamos, com alguma perseverança buscar compreender esta dualidade e tentar crescer o que é positivo e bom e fazer decrescer aquilo que dificulta a caminhada rumo ao crescimento que deve ser sempre constante na vida de todos nós.
    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  27. Luis,
    seja bem-vindo ao meu blog! Com certeza me verá por aqui.
    abs
    Jussara

    ResponderExcluir
  28. Há algo inquietante em seus escritos, como o grito de uma criança que acorda no escuro e a quem o colo da mãe não parece suficiente para desembaraçá-la do pesadelo...mas sempre amanhecerá.
    Obrigado pela sua visita,
    Abraço

    Bíndi e Ghost

    ResponderExcluir
  29. Se houvesse uma palavra para descrever teu texto ela certamente seria: CORAGEM, bem assim com letras maiúsculas. Apesar do medo que nos impede de ser quem somos, tua escrita é desprendida de qualquer fraqueza.
    Quantos ratos são capazes de habitar em nós? Não saberemos ao certo dizer, mas entre casas bonitas e porões vazios só precisamos de um lugar para nos sentir bem.
    Dei de cara com "Eu encanto, seduzo e estrago tudo", o primeiro que li e já me encantei. Vou ficando por aqui.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  30. Algo que me confunde, talvez,
    seja a luta do Clive com seu eu
    interior driblando a morte e
    seduzindo a Vida...Mas, algo me
    deixa tonta, dopada mesmo, talvez
    por me levar a crer, que teu mundo
    Clive, seja de um cara drogado ou
    viciado tentando se curar...Posso
    estar enganada, mas vamos a outro capitulo
    e quem sabe, ja consigo chegar a alguma conclusão.

    ResponderExcluir

Leia com atenção.
Não esquecendo que tudo é desenvolvido como poesia livre, seja uma crítica ou um ponto de vista.
Ninguém é obrigado a concordar, mas respeitar e ser sincero ajuda ^^